domingo, 25 de novembro de 2012

Fé e luta, pensamento positivo

          O que significa fé? Significa crer em uma força maior? Ou simplesmente quer dizer pensar positivamente mirando algo, algo maior? Fé, pra mim, é inexplicável. Não se explica, mas se sente, a cada um em seu modo. Aos que não possuem fé, digo-lhes que a fé neles existe, e é manifestada de modo que a eles não se traduza neste termo. Eu tenho fé... Fé que as pessoas boas se multiplicarão, que viverão em paz. Que meu pensamento muitas vezes mesquinho e atrasado sobre as coisas e as pessoas evoluirá juntamente ao comportamento humano. Eu tenho fé que existe mais gente do bem que do mal. Que as pessoas gostam de mim como sou, e que eu possa retribuir demonstrando-lhes que melhoro um pouco a cada dia.
          A minha fé, entretanto, não é intransponível. Quantas vezes, aliás, esqueço-a em algum lugar do cérebro ou do coração, e em seu lugar entram os maus pensamentos, a descrença. Por isso penso que ter a cabeça boa é a chave do sucesso. Não só do sucesso, como do bem-estar individual e coletivo. Ter em mente o relaxamento, o uso da razão sobre todas as coisas, sem deixá-la agredir nosso desejo de sonhar. Sonhar é tão bom, ainda que doa quando o sonho parece impossível, ou complicado demais. Quem somente sonha, morrerá sem ter o objetivo atingido, é verdade... Mas quem não sonha, feliz ou triste se torna sem a magia de imaginar além.
          Felizmente vejo que já consigo distinguir o importante do essencial: Importante é aquilo pelo que devemos lutar; essencial é aquilo sem o quê não podemos viver. Sua família, sua saúde e seu alimento, sua casa, uma cama e um cobertor, carinho... isso é essencial; um bom emprego, uma linda namorada, bom salário e a casa cheia de amigos verdadeiros, é apenas importante. Se sigo nesta linha, a mim parece que o importante se dará com o tempo, basta merecer um pouco, lutar um pouco, saber de seus defeitos, de suas qualidades e de suas limitações; trata-se de aprimorar o que hoje está ruim. O essencial se obterá com boa conduta, uma dose de amor e compreensão, bastante responsabilidade, e, englobando tudo isso, uma cabeça boa, uma mente aberta irrestrita a ideias individualistas.
          Não fraquejarei ante o obstáculo. Se hoje ele me derruba, treinarei para amanhã ou depois, ou depois, ou depois de muitos "depois", vencê-lo. Apoiar-se na família e ter força de vontade se faz necessário para isso. Que trágico não pensar assim o tempo todo, não agir sendo você mesmo por inteiro.
          Enquanto tantas pessoas lutam por um prato de comida, nossas cabecinhas fechadas somente almejam, em primeiro lugar, a satisfação pessoal.
Vivamos agradecendo mais o dia de sol e de saúde. Vivamos, felizmente.

2 comentários:

  1. Reflexão super bacana e necessária depois de uma prova tão difícil como a da fuvest.

    ResponderExcluir